sexta-feira, 30 de agosto de 2013

10 motivos para apoiar Bashar Al Assad e a Síria anti-imperialista



1 - A questão não é “apoiar um ditador”, mas sim, apoiar a auto-determinação dos povos que é um direito concedido pelo Tratado de Westphalia, assinado em 1648, um princípio básico da Diplomacia e do Direito Internacional.

2 - A ONU vetou todas as tentativas americanas e israelenses de intervenção à Síria. Intervir mesmo assim significaria desobedecer o Conselho de Segurança da ONU, como os EUA fizeram no Iraque após o 11 de setembro.

3 - Obama alega que Assad usou armas químicas contra a população. Até o presente momento, os únicos que comprovadamente usaram as armas químicas foram os rebeldes, que são apoiados, financiados e armados pelos EUA. Aliás, isso lembra das “armas de destruição em massa” pelas quais os EUA invadiram o Iraque, mas não as encontraram até hoje.

4 - O embate entre um governo secular (Assad e o partido Ba'ath) e guerrilhas teocráticas (Frente Al-Nursa, que é ligada à Al-Qaeda e outros grupos) é uma clara visão do que aconteceu no Afeganistão. Quando o país estava protegido pelas tropas soviéticas, os EUA apoiaram os Mujahideen, que mais tarde, tornariam-se os Talibãs. O líder dos Mujahideen era Osama Bin Laden, ou seja: Ele foi treinado, armado e financiado pela CIA para se livrar dos soviéticos na região. Anos depois, o que aconteceu? Nasce a Al-Qaeda, ocorre o 11 de setembro, o Afeganistão é invadido, reduzido a pó, milhões de vidas são perdidas... Para quê? Agora, Obama deseja repetir o erro com a Síria.

5  - Caso os rebeldes vençam, todos aqueles que não forem sunitas, serão exterminados. Por isso que xiitas, cristãos, drusos entre outras minorias religiosas e étnicas estão do lado de Assad, em cujo governo no qual, no Estado Laico a liberdade de culto é permitida.

6 - Os EUA só querem garantir sua hegemonia na região. Quem acha que eles “democratizarão” a Síria está redondamente enganado. O princípio dos EUA não é de espalhar a democracia, mas sim garantir seus interesses. Caso contrário, a Arábia Saudita, que é uma monarquia absolutista teocrática, já teria sido varrida do mapa.

7 - Como já foi citado: Os rebeldes mercenários não são nada mais que grupos terroristas bem pagos pelos EUA.

8 - Grande parte dos rebeldes não são nem sírios, são estrangeiros. Já o Exército Árabe Sírio e as Milícias Populares são 100% sírias. Isso prova mais ainda de que lado o povo está.

9 - A brutalidade e a selvageria dos ditos rebeldes “libertadores” é tanta que há inclusive vídeos de seus crimes, como por exemplo, onde um deles, no caso soldado da Frente Al-Nursa mata um soldado sírio e depois COME O SEU CORAÇÃO, enquanto berra “Allahu Akbar!”

10 - Não podemos chamar os ocidentais e seus exércitos de “soldados da pátria”, ou de “libertadores”, se fechamos os olhos para violações cometidas pelos próprios em outras nações. Se fizermos isso, será claramente uma atitude egoísta e provará o tamanho do egocentrismo nas pessoas, coisa que totalmente qualquer anti-imperialista condena e repudia. Somos amigos de todos aqueles que querem o direito de decidir o seu próprio destino. Somos inimigos daqueles que tentam arrancar de nações e de indivíduos este direito inalienável. Sendo assim, caso Bashar Al Assad seja indesejado, que o povo sírio e as organizações populares decida por si só, sem a interferência direta ou indireta de potências estrangeiras com interesses hegemônicos.

5 comentários:

  1. Morte à Assad ! Nem tudo é em prol dos EUA que forja fatos e acontecimentos para poder invadir outro país e ainda assim ter apoio da população. Tenho contatos na Siria(aleppo e idlib,pra ser mais preciso.) e na palestina.O que me foi relatado e de meu conhecimento,soldados sirios se rendendo e mudando de lado,para as tropas rebeldes,como a FSA,AL-Nusra e outros menores,pois,quem realmente são os vilões,é Assad e sua corja maldita,matam civis,torturam rebeldes quando capturados e as atrocidades não tem limite,enquanto os rebeldes da FSA em particular,protegem os civis e quando á um prisioneiro ferido,eles executam,sem tortura,sem humilhação.
    E não precisa ter contato na Siria ou algo do tipo pra saber a verdade,pesquisa no Youtube videos da FSA e reveja seus conceitos sobre a siria.
    Por mais que sigam o islamismo do antigo testamento,suas intenções são melhores que à de Bashar Al Assad.

    E só pra constar,o parágrafo 8 é ridículo,a verdade é que tem até pessoas voluntarias ajudando os rebeldes,não na linha de frente,mas cuidando dos feridos em batalha.

    Allahu Akbar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanto o governo ditatorial saudita lhe pagou para escrever tantos absurdos? Allahu Akbar? prefiro ficar com, ALLAH! SURIYA! BASHAR W BASS!

      Passar bem.

      Excluir
  2. Querido, que acusou o sr. Bashar das mais horriveis coisas, voce so fez isso mesmo, acusar. Nao acredito na veracidade das suas "provas" e, ainda que sejam verdades, EU PERDOO O SR. Bashar, pois a unica, verdadeira, e MONSTRUOSA atrocidade que IA acontecer, mas ALLAH nao permitiu que acontecesse, era o assassinato do Sr. Assad, assassinato sadico e perverso, idealizado por satan, por ninguem menos que seu proprio povo e irmaos muculmanos, os "terroristas" (outra mentira) iludidos pela lavagem cerebral da propaganda de guerra satanica do ocidente para destrui-lo e a seguir, ao proprio Isla. Eu tambem tenho provas do que digo, as quais, por si sos, refutam cabalmente a sua lamentavel e equivocada postura. Eu o convido humildemente a observar com mais cuidado a vida a sua volta em todo o planeta e, mais do que tudo, o convido a REZAR, pois so Ele e so Ele pode permitir-lhe abrir os seus olhos para a VERDAFE. Abraco cordial.

    ResponderExcluir